Indústrias

As indústrias são muito importantes para o desenvolvimento da sociedade e graças a este setor, foi possível criar diversos bens de consumo essenciais na vida moderna, trazendo comodidade e saúde para a população, e gerando muitos empregos em todo o mundo.

Como em qualquer atividade humana, as indústrias são responsáveis por causar muitos danos ao meio ambiente, além de gerar resíduos, emissões atmosféricas e efluentes que podem contaminar águas superficiais e subterrâneas, ar e solo. A presença das indústrias também contribui diretamente para a devastação das florestas e extinção de diversas espécies de animais.

Poluição do Solo

A deposição dos resíduos sólidos diretamente sobre o solo é a principal causa da contaminação do solo pelas indústrias, principalmente dos metais pesados.

Exemplo: os principais metais pesados provenientes de indústrias metalúrgicas são o arsênio, chumbo, cromo, níquel, cádmio, manganês, ferro, zinco e cobre, estes podem tornar o solo tóxico e nocivo à saúde das plantas, dos animais, e contaminar o lençol freático.

Também podem causar sérios danos à saúde humana como câncer de pulmões e próstata; lesão nos rins, saturnismo (cólicas abdominais, tremores, fraqueza muscular, lesão renal e cerebral), asma e intoxicação do sistema nervoso central.

A legislação vigente no Estado de São Paulo para controle da qualidade do solo é a Lei Estadual nº 13.577 de 08 de julho de 2009, que dispõe sobre diretrizes e procedimentos para a proteção da qualidade do solo e gerenciamento de áreas contaminadas.

Poluição da Água

A poluição nas águas causada pelas indústrias é decorrente dos vários processos produtivos desenvolvidos através da deposição de poluentes atmosféricos, contaminação proveniente da disposição de resíduos sobre o solo, e lançamento de efluentes industriais sem tratamento nas galerias pluviais.

No Brasil, o lançamento dos efluentes industriais é controlado através da Resolução CONAMA, nº 430 de 13 de maio de 2011, que dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, e estabelece os valores máximos de lançamento das substâncias passíveis de gerar alguma alteração na qualidade da água.

No estado de São Paulo, vigora ainda a Lei Estadual 6134 de 02 de junho de 1988, que dispõe sobre a preservação dos depósitos naturais de águas subterrâneas do Estado de São Paulo, e conforme o Artigo 5º,

Parágrafo único da referida lei:

“A descarga de poluente, tais como águas ou refugos industriais, que possam degradar a qualidade da água subterrânea, e o descumprimento das demais determinações desta Lei e regulamentos decorrentes sujeitarão o infrator às penalidades previstas na legislação ambiental, sem prejuízo das sanções penais cabíveis.”

Poluição Sonora

A emissão de ruídos é um dos impactos mais comuns provenientes das atividades industriais, e podem causar danos, principalmente aos animais e aos seres humanos, causando danos físicos, mentais e sociais.

A legislação brasileira que dispõe sobre os padrões e critérios para emissão de ruídos é a Resolução CONAMA nº001 de 08 de março de 1990, de acordo com os padrões considerados pela norma NBR 10.151 – Avaliação do Ruído em Áreas Habitadas visando o conforto da comunidade, da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Poluição do Ar

De acordo com a Resolução Federal CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) n° 3 de 28 de Junho de 1990, Art.1º Parágrafo único:

“Entende-se como poluente atmosférico qualquer forma de matéria ou energia com intensidade e em quantidade, concentração, tempo ou características em desacordo com os níveis estabelecidos, e que tornem ou possam tornar o ar Impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde; Inconveniente ao bem-estar público; danoso aos materiais, à fauna e flora.”

A indústria metalúrgica apresenta emissão de grandes quantidades de fumaça, sendo os principais deles o material particulado, dióxido de enxofre – SO2, névoas ácidas e vapores.

Licenciamento Ambiental e Funcionamento de Indústrias

O Licenciamento Ambiental é definido pela Resolução CONAMA nº 237 de 19 de dezembro de 1997 como:

“Art. 1º – I – Licenciamento Ambiental: procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental competente licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e atividades utilizadoras de recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou daquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental, considerando as disposições legais e regulamentares e as normas técnicas aplicáveis ao caso.”

O licenciamento ambiental é um instrumento importante no controle dos impactos ambientais, pois é através dele que o órgão ambiental tem conhecimento da atividade desenvolvida por uma empresa, e os riscos ambientais apresentados por ela.

Entre os procedimentos envolvidos no processo de licenciamento, está à elaboração do Memorial de Caracterização do Empreendimento (MCE), que é um documento onde são apresentados todos os dados da empresa, entre eles as informações referentes aos resíduos sólidos gerados na empresa, consumo de água e energia elétrica, lançamento de efluentes, emissões atmosféricas, entre outras.

O funcionamento ilegal, ou seja, sem as devidas licenças, impede que o órgão ambiental competente, (no caso do estado de São Paulo é a CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) conheça e exija medidas preventivas para controle dos impactos ambientais apresentados pela empresa, constituindo, portanto um risco ambiental.

Mediante denúncia, a CETESB executa as fiscalizações necessárias nas empresas, e na constatação de irregularidades e/ou o funcionamento ilegal da atividade a empresa fica sujeita as penalidades previstas na Legislação Ambiental vigente. Consulte a MLC !

Consulte outros serviços MLC Consultoria Ambiental:

Consultoria Ambiental

Gerenciamento de Áreas Contaminadas

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Licenciamento Ambiental LP, LI e LO

Avaliação Ambiental Preliminar

Investigação Confirmatória Ambiental

Estudo de Impacto de Vizinhança EIV

Plano de Controle Ambiental PCA

Relatório Ambiental Preliminar RAP

Resumo
Indústria
Nome do Artigo
Indústria
Descrição
Como em qualquer atividade humana, as indústrias são responsáveis por causar muitos danos ao meio ambiente, além de gerar resíduos, emissões atmosféricas e efluentes que podem contaminar águas superficiais e subterrâneas, ar e solo.O licenciamento ambiental para a Indústria é um instrumento importante no controle dos impactos ambientais, pois é através dele que o órgão ambiental tem conhecimento da atividade desenvolvida por uma empresa, e os riscos ambientais apresentados por ela.
Autor
Nome do Publicador
MLC Consultoria Ambiental
Logo do Publicador