Gerenciamento de Áreas Contaminadas

O gerenciamento de áreas contaminadas (ACs) tem como objetivo minimizar os riscos para a população e o meio ambiente, por meio de um conjunto de medidas, proporcionando o conhecimento necessário para tomada de decisão quanto às formas de intervenção mais adequadas.

Assim para aperfeiçoar recursos técnicos e econômicos, o Gerenciamento de Áreas Contaminadas ACs tem uma estratégia constituída por etapas sequenciais, em que a informação obtida em cada uma é a base para a execução da etapa posterior. Podemos dividi-las em duas partes: processo de identificação e recuperação de áreas, conforme descritos a seguir.

Considera-se como área contaminada o local onde há comprovadamente poluição causada por quaisquer substâncias ou resíduos que nela tenham sido depositados, acumulados, armazenados, enterrados ou infiltrados, e que determina impactos negativos sobre os bens a proteger, como saúde e bem-estar da população; fauna e flora; qualidade do solo, das águas e do ar; entre outros.

Identificação de Áreas Contaminadas

  • Definição da Região de Interesse: são definidos os locais a serem priorizados pelo gerenciamento e estabelecidos os objetivos principais, considerando os principais bens a proteger.
  • Identificação de Áreas Potencialmente contaminadas: são identificadas as áreas existentes no local de interesse onde são ou foram utilizadas substâncias, que possam causar danos aos bens a proteger.
  • Avaliação Preliminar: resumidamente é a elaboração de um diagnóstico inicial das áreas potencialmente contaminadas, há um levantamento de informações existentes e de informações coletadas em visitas de reconhecimento em cada uma dessas áreas. Com essas informações, são levantadas hipóteses sobre as características da fonte de contaminação, vias de transporte dos contaminantes e os prováveis receptores ou bens a proteger atingidos. Assim, monta-se um modelo conceitual inicial da área, que deverá ser utilizado para o planejamento das etapas de investigação confirmatória e investigação detalhada, caso estas sejam necessárias.
  • Investigação Confirmatória: tem como objetivo principal confirmar ou não a existência de contaminação nas áreas suspeitas, identificadas na etapa de avaliação preliminar.

Recuperação de áreas contaminadas

  • Investigação detalhada: é a primeira do processo de recuperação de áreas contaminadas. Dentro desse processo, a etapa de investigação detalhada é de fundamental importância para subsidiar a execução da etapa seguinte de avaliação de riscos e, consequentemente, para a definição das intervenções necessárias na área contaminada.
  • Avaliação de risco: é a quantificação dos riscos gerados pelas áreas contaminadas aos bens a proteger, como a saúde da população e os ecossistemas, para edificações, instalações de infraestrutura urbana, produção agrícola e outros.
  • Investigação para remediação: é selecionar, dentre as várias opções de técnicas existentes, aquelas, ou a combinação destas, que são possíveis, apropriadas e legalmente permissíveis para o caso considerado.
  • Projeto de remediação: deve ser confeccionado, para ser utilizado como a base técnica para o órgão gerenciador ou órgão de controle ambiental avaliar a possibilidade de autorizar ou não a implantação e operação dos sistemas de remediação propostos.
  • Remediação: consiste na implementação de medidas que resultem no saneamento da área/material contaminado e/ou na contenção e isolamento dos contaminantes, de modo a atingir os objetivos aprovados a partir do projeto de remediação.
  • Monitoramento: Durante as ações de remediação, a área deverá permanecer sob contínuo monitoramento, por período de tempo a ser definido pelo órgão de controle ambiental. Os resultados do monitoramento serão utilizados para verificar a eficiência da remediação, propiciando observar se os objetivos desta estão sendo atingidos ou não.
Resumo
Gerenciamento de Áreas Contaminadas
Nome do Artigo
Gerenciamento de Áreas Contaminadas
Descrição
Gerenciamento de Áreas Contaminadas visa minimizar e/ou atenuar os ricos de que estão sujeitos a população e o meio ambiente. Empregando diversos métodos de engenharia ambiental, para que a concentração seja reduzida a limites pré-determinados na Avaliação de Risco a Saúde Humana ou leis vigentes.
Autor
Nome do Publicador
MLC Consultoria Ambiental
Logo do Publicador